O AMOR CURA, O ÓDIO MATA

Boa tarde! ” O amor cura, o ódio mata; nunca odeie, ame e verá que a vida flui como água cristalina”. Essas foram as palavras de Jacinto Convite ( 1913-2014), um médico venezuelano que dedicou toda sua vida à cura da lepra, doença que assolou seu país nos anos 1930 e à pesquisa sobre o câncer de mama. A grande frase de Jacinto é uma inspiração para nós: ” Muitas vezes, sentimentos negativos são despertados em nós, seja pelas ações de alguma pessoa ou pela maneira como as coisas acontecem, totalmente o oposto do que planejamos. Cegos por esses sentimentos não conseguimos enxergar que há muito mais para nós além de uma fase ruim, e que a chave para superar todos os momentos negativos na vida é o amor. O amor é a cura para todos os males da vida. Não há nada que não possa ser resolvido com esse sentimento, desde que seja puro. Quando optamos por seguir o amor, percebemos que nossas vidas se tornam mais leves, e mesmo assim piores coisas que chegam em nosso caminho se tornam menos poderosas, porque encontramos uma grande do há para nós apoiar. É nesse sentimento que devemos focar, porque nos torna pessoas melhores e faz o universo girar. O amor nos permite crescer a cada dia, buscar uma vida melhor para nós mesmos e também para aqueles ao nosso redor. O amor é empatia, é dedicação, é saber reconhecer o outro, é lutar para que todos sejam tratados de maneira igual, é fazer da própria vida um exemplo, é lutar para que o mundo seja um lugar melhor. É...

A QUARESMA E A UMBANDA

DEVE-SE MANTER ABERTO OU FECHADO UM CENTRO/ TERREIRO/ TEMPLO DE UMBANDA NESSE PERÍODO ?   Inúmeros Centros/Terreiros/Templos de Umbanda fecham ou têm o atendimento limitado no período de Quaresma, mesmo não sendo esta data ligada à religião. Afinal, por que isso acontece? A dúvida sobre o funcionamento dos Centros/Terreiros/Templos durante a Quaresma, historicamente, vem da época que os Orixás eram proibidos de serem cultuados e deveriam ser sincretizados com os santos católicos. Como o período da Quaresma corresponde a uma época de reclusão e reflexão dentro da Igreja Católica, muitos terreiros de Umbanda e Candomblé ficavam em uma posição delicada junto à comunidade católica e fechavam as portas para não ter problemas com as autoridades locais e com as pessoas em geral, quando poderiam ser acusados de desrespeitosos com a religião católica. As pessoas consideravam que os Centros/Terreiros/Templos não deveriam tocar atabaques ou praticar qualquer ritual na Quaresma, a exemplo da Igreja Católica, que deixa suas imagens cobertas por mantos de cor roxa em sinal de respeito e exige que seus fiéis se recolham em oração, penitência e jejum para preparar o espírito para a acolhida do Cristo Vivo. Desta feita, essa é a sequência de atos perpetrados pela religião Católica. Dessa forma, por mais que esses hábitos estejam arraigados na cultura brasileira, deve-se ter em mente que essas práticas são católicas, não pertencendo à Umbanda. Para a Umbanda, o que importa é que os Centros/Terreiros/Templos estejam abertos para atendimento àqueles que necessitam do socorro espiritual. Pelo fato de se ter convencionado que a Quaresma é um período onde as entidades superiores não trabalham, acaba sendo criado um ambiente...